A vida de Ancelotti

Um predestinado? Sim, mas às custas de muito trabalho. Carlo Michelangelo Ancelotti, nasceu em Reggiolo, em 10 de junho de 1959, para ser um dos maiores treinadores de futebol de todos os tempos com mais detalhes a seguir. 

Em 2022, tornou-se o treinador com mais conquistas em torneios interclubes da UEFA com oito títulos, e também o treinador com o maior número de conquistas da UEFA Champions League, quatro vezes. Somando-se estas quatro conquistas da UEFA Champions League como treinador, aos dois títulos conquistados enquanto era jogador, Ancelotti igualou-se ao espanhol Francisco Gento, que conquistou a UEFA Champions League por seis vezes como jogador, tornando-se o maior vencedor da Liga dos Campeões da UEFA.

A lenda Ancelotti começou sua trajetória no futebol como jogador, atuando como segundo volante, no time do Parma, lá em 1976. Em 1979 transferiu-se para a Roma, onde venceu um Campeonato Italiano e quatro Copas da Itália. Entre 1987 a 1992, Ancelotti defendeu o Milan, fazendo parte da equipe bicampeã da Liga dos Campeões de 1988/89 e 1989/90. Pela seleção italiana, Ancelotti disputou vinte e seis partidas e jogou duas Copas do Mundo, 1986 e 1990, mas foi impedido de jogar a disputa em 1982, devido a uma lesão.

Se como atleta, Ancelotti já era um vencedor, sua carreira como treinador o alçaria a outro patamar de excelência. Tudo começou no modesto Reggiana, no ano de 1995. Na temporada seguinte foi técnico do Parma, e entre 1999 e 2001, treinou a Juventus. 

Os primeiros títulos como técnico, viriam com o Milan, onde chegou em de novembro de 2001, sucedendo a Fatih Terim. Foram nove temporadas à frente do Milan e suas principais conquistas foram os títulos da Liga dos Campeões de 2002/03 e 2006/07 e o Mundial de Clubes da FIFA em 2007.

Em 2009 transferiu-se para o Chelsea da Inglaterra. Logo em sua primeira temporada, conquistou a Premier League e a Copa da Inglaterra. Tudo indicava que Ancelotti ficaria por lá por muitas temporadas, mas acabou demitido no encerramento da Premier League de 2010–11, quando a sua equipe foi vice-campeã.

Muito prestigiado, em 30 de dezembro de 2011, substituiu Antoine Kombouaré como o novo treinador do Paris Saint-Germain. Conquistou a Ligue 1 na temporada 2012/13, mas ao final da temporada resolveu que a proposta do Real Madrid era, de fato, irrecusável. Transferiu-se, então, para o clube madrilenho, assinando por três anos.

Pelo Real conquistou a Copa do Rei de 2013/14, além da Liga dos Campeões da UEFA de 2013/14, conquistando seu quinto título. Ao final do Campeonato Espanhol de 2014/15, o vice-campeonato não bastou para segurá-lo e foi demitido pelo presidente Florentino Pérez.

O próximo destino do italiano foi anunciado em 20 de dezembro de 2015; Ancelotti era o novo treinador do Bayern de Munique, na vaga deixada por Pep Guardiola. Estranhamente, só assumiu o clube alemão em 1 de julho de 2016, e nas duas temporadas que por lá passou, faturou uma Bundesliga e duas Supercopas da Alemanha. No dia 28 de setembro de 2017, foi demitido após derrota por 3 a 0 para o PSG, pela Liga dos Campeões.

Em 23 de maio de 2018, retornou ao futebol italiano para comandar o Napoli, assinando contrato por três temporadas. Foi demitido do clube napolitano no dia 10 de dezembro de 2019, seguindo para o Everton em 21 de dezembro.

Mas o mundo dá voltas e, após a saída de Zinedine Zidane, no dia 1 de junho de 2021 Ancelotti foi anunciado como novo treinador do Real Madrid. O técnico italiano retornou ao clube espanhol depois de oito anos. No seu retorno conquistou a Supercopa da Espanha, 2021/22 e o Campeonato Espanhol da temporada 2021/22, tornando-se o primeiro técnico a vencer as cinco principais ligas da Europa, ou seja, La Liga, Ligue 1, Premier League, Bundesliga e Serie A. No dia 28 de maio de 2022, tornou-se o primeiro treinador a conquistar quatro vezes a Liga dos Campeões da UEFA.

Em 2009, Carlo Ancelotti lançou o livro autobiográfico “Preferisco la coppa. Vita, partite e miracoli di un normale fuoriclasse”, escrito em parceria com Alessandro Alciato. Carlo tem dois filhos de seu primeiro matrimônio, Kátia e Davide, sendo este integrante da sua comissão técnica no Real Madrid. Ancelotti tem todo o futuro pela frente e todos os títulos também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.